1) A Feira APAS deste ano traz o tema Perspectivas e Oportunidades. Com o evento, a APAS pretende ajudar o varejo supermercadista a retomar o crescimento neste momento de crise? Quais as principias propostas do evento nesse sentido?

A escolha do tema Perspectivas e Oportunidades traduz da melhor maneira possível a preocupação da APAS junto a seus associados no que diz respeito à retomada do crescimento e geração de negócios. Em momentos de economia estabilizada ou oscilante, são as perspectivas e as oportunidades que farão a diferença no crescimento de cada negócio ou investimento. Acreditamos que, para traçar o caminho do empreendedorismo, é preciso se manter atento, antecipar os desafios e prever o momento oportuno.

Neste período instável é que o setor mostra sua força diante de outros grandes varejistas, atuando nas negociações junto aos produtores e fornecedores, chegando mais estruturados à estabilidade. Orientamos a cada um que amplie as perspectivas de negócio e vá para cima das oportunidades.

Ao todo, serão 65 mil m² de área de exposição, para abrigar mais de 600 expositores nacionais e internacionais, vindos de diversos países. A expectativa é que a edição supere a anterior, baseada nos mesmos pilares para fazer um evento completo: Feira, Congresso e Arena do Conhecimento.

Além disso, uma das novidades deste ano é a iniciativa Conexões de Negócios, proporcionada pela ferramenta Match Making. Trata-se de um programa gratuito disponibilizado no site do evento e que vai permitir o agendamento online de reuniões entre expositores e visitantes. A ação inédita vai auxiliar na concretização de negócios e permitir maior visibilidade dos expositores junto aos visitantes. Também haverá na feira cinco espaços para a Área de Conectividade, onde será possível conectar-se à internet por wi-fi livre e carregar celulares e equipamentos.

ilustrac¸a~o-pessoas-no-mercado

2) Quais as principais iniciativas da APAS previstas para este ano para estimular o setor no estado?

Acreditamos que o setor supermercadista, assim como outros afetados pela crise, sairão fortalecidos desse período. Essa é a chance que temos de repensar o negócio, mudar as estratégias, redefinir metas, planejar e crescer.

Crescer é sempre possível se aproveitarmos esse tempo para rever nossas ações e mudarmos nossa estratégia. Já é previsto que o segmento supermercadista mantenha a corrida por mais eficiência que vem objetivando desde o início do Plano Real. Os supermercados certamente aperfeiçoarão suas negociações comerciais junto aos fornecedores, auxiliando na manutenção dos preços em patamares inferiores aos verificados em outros setores da atividade econômica e isso irá contribuir para a melhoria dos negócios.

Esse é o momento de avaliar os riscos e pensar em expansão. Muitas cidades do interior paulista, inclusive, estão recebendo investimentos de grandes redes supermercadistas devido à infraestrutura e aos benefícios fiscais que algumas cidades têm conseguido proporcionar aos empresários.

3) Com a redução do poder de compra do consumidor e o aumento do desemprego, há uma preocupação com a possibilidade de aumento de furtos nos estabelecimentos?

Furto é uma preocupação constante da APAS junto aos seus associados, mas não acreditamos em uma relação entre um problema e outro.

4) Qual a importância de se investir em tecnologias para aumentar a performance dos supermercados e reduzir perdas?

Cada vez mais o consumidor tem apresentado crescente preocupação com a saúde e buscado a praticidade, mas sem abrir mão de produtos de qualidade e com preço justo. Na visão da APAS, esta mudança de hábito do consumidor, tornando-se mais exigente, é o que proporciona ao supermercadista a oportunidade de melhorar seus serviços e atender os anseios do cliente. A busca por soluções tecnológicas e inovadoras segue este objetivo. Quando falamos em inovação e tecnologia falamos em ganho de tempo. O consumidor precisa de serviços que venham facilitar seu dia a dia e proporcionem comodidade e faz questão de um bom atendimento. O varejo supermercadista tem investido muito em melhorias de processos que possam aperfeiçoar a experiência de compra do cliente que é, sem dúvida, o maior patrimônio do setor.