{browse_happy}

6 motivos para se adotar uma boa Gestão de estoques e Prevenção de Perdas no Varejo

Por Editor Brasil em Nov 6, 2017

Por Gilberto Quintanilha Júnior*


O estoque é como uma aplicação bancária. Se bem gerido, pode render bons resultados. Caso contrário, poderá inviabilizar o negócio ou, no mínimo, torná-lo menos competitivo em um mercado cada vez maior. Somente em 2016, o custo logístico (soma dos gastos com transporte, estoque, armazenagem e serviços administrativos) consumiu 12,7% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil.

Toda empresa deve buscar um ponto de equilíbrio em seus estoques. O excesso ou escassez poderão gerar perdas e despesas. Deve-se avaliar não apenas o impacto material, mas, também, o impacto no bolso do varejista, como gastos de manutenção e operacionais maiores que o previsto. Além disso, a má administração do armazenamento pode ocasionar uma ruptura (ausência do produto), consequentemente gerando uma má experiência para o cliente.

Quando há uma correta gestão de estoques e ações de diminuição de perdas, o aumento da lucratividade vem como consequência, pois os ganhos são refletidos em várias frentes:

1. Menores perdas (inventário/quebras)

Segundo dados da pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Supermercados, apresentada na Convenção ABRAS 2017, as perdas do varejo brasileiro de supermercados representam 2,10% do faturamento bruto de R$ 338,7 bilhões, totalizando 7,11 bilhões. Dentro desta estatística estão as avarias, vencimento, furtos e erros administrativos. Estas situações podem gerar insatisfação ou, até mesmo, a perda do cliente.

Os valores apresentados foram totalizados por empresas que já possuem uma área de prevenção de perdas ou gestão de estoque. Sendo assim, os índices de perdas podem ser ainda superiores em empresas que não possuem tais práticas.

2. Melhor reposição

Rupturas e perdas por vencimento são, normalmente, consequentes de uma má gestão de inventário. Quanto maior o nível de acurácia dos estoques, melhores serão as compras para reposição; mais assertiva será a distribuição; menores serão as perdas por vencimento ou avarias em virtude de excessos e maiores serão as chances de fidelização do cliente - uma vez que encontra o produto que precisa em na loja.

3. Redução de custos de manutenção e operacionais

Empresas com área de gestão de estoques adequada possuem gastos menores, pois os investimentos e despesas são alinhados à demanda real. Nestas empresas há um planejamento para que os volumes geridos possuam o nível de qualidade desejada pelo empresário e pelo consumidor. Custos com mão de obra para a manipulação do estoque; manutenções e investimentos em equipamentos e novas tecnologias são ajustados conforme a necessidade, evitando, assim, eventuais desperdícios.

4. Aumento da produtividade

Soluções que permitam o controle adequado das movimentações no inventário são essenciais para obter um estoque organizado e, consequentemente, uma eficiência organizacional. Esses métodos de controle irão gerir todos os processos de recebimento/expedição, armazenagem e separação. Sendo assim, garantem a eficiência do time alocado, o atendimento dos prazos de distribuição às unidades de negócio e ao cliente final. Vale lembrar que o prazo de entrega, alinhado a qualidade de envio e recebimento do produto farão toda diferença no recebimento da loja.

5. Melhora na experiência de compra do cliente

O consumidor atual está se tornando cada vez mais exigente. A variação de modelos, de fabricantes e fornecedores no mercado aumenta a cada dia. Com isso, cresce a necessidade de se possuir um estoque alinhado à demanda e, sobretudo, à expectativa de compra deste perfil, que busca cada vez mais agilidade, facilidade, eficiência e qualidade de atendimento.

Essa situação pode ser ilustrada com a venda de televisores. Décadas atrás, as TVs eram compradas nas opções colorida ou monocromática. Com o passar dos anos, o tamanho dos aparelhos foi variando e a coloridas se tornaram padrão. Há pelo menos 10 anos, foi possível acompanhar o avanço de tecnologias que tornaram as TVs mais leves, com mais funcionalidades e maiores - hoje podendo ter mais que 70 polegadas. Toda essa novidade pode ser adquirida dentro de uma loja física ou, até mesmo, em poucos cliques pela internet ou em um smartphone.


Neste sentido, um controle de estoque correto permite organizar os processos de forma a atender às necessidades dos clientes com excelência, evitando percalços como atrasos de entrega e produtos danificados, por exemplo.

6. Maior competitividade

Empresas com gestão de estoques e atuação em prevenção de perdas são mais estratégicas e competitivas, apresentando maiores vendas, menores perdas, e como consequência clientes mais satisfeitos e fidelizados. Economizar nas perdas faz com que a empresa possa atuar com preços mais competitivos, obtendo margens mais adequadas ao negócio e atendendo seu cliente da forma como ele quer ser atendido.

Cenário de Empresa com Gestão de Estoques e Prevenção de Perdas:


Conclusão

É necessário possuir processos muito mais alinhados às necessidades operacionais, mas que permitam gerar a segurança necessária, evitando duplicidades; atrasos; quebras operacionais; baixa produtividade ou margens baixas e, em especial, impactos à competitividade e à lucratividade do negócio. Reduzir perdas é converter gastos em lucros.


*Gilberto Quintanilha Júnior é gerente de Prevenção de Perdas da Johnson Controls


Unidades de negócio da Johnson Controls